terça-feira, 3 de julho de 2012

A maquiagem no cinema 2 parte

Olá Meninas

Bem como prometido estou postando a segunda parte da serie de posts contando um pouco sobre a historia da maquiagem e seus segmentos e ramificações, espero que gostem.


Na aula de teatro, o diretor diz que usar uma máscara totalmente branca é como trocar de personalidade instantaneamente. Quando seu rosto desaparece, todo o resto do corpo fica em evidência e qualquer movimento se torna maior, mais significativo. Fica muito mais fácil perceber a atuação, o personagem em sua essência.
Quando você coloca algum elemento a mais nessa máscara, isso se torna representativo daquele personagem, e quanto mais você acrescenta, mais autoral fica. É a caracterização da alma daquilo que está em evidência.
Marilyn Monroe era uma garota simples, sem estudos, sem dinheiro e morena. Foi talvez a mulher mais esperta de toda Hollywood, se vendeu na hora certa, fez os personagens certos. Porém, mais do que tudo, criou a personagem certa. Pintou os cabelos de louro, se maquiavacomo se fosse inocentemente sedutora e todos compraram essa faceta. Se tornou um ícone, não por sua atuação nos filmes, mas por tudo o que representou e por toda influência sobre asmulheres da época.
E não era só a maquiagem da Marilyn que as mulheres queriam copiar. Todo o cinema influenciou muito na moda dos cosméticos em quase todas as gerações. Por exemplo, emmaquiagem para cinema, normalmente, querem simular o real com muita naturalidade, por isso, na década de 30, por causa da quantidade de luz que era usada nos sets de filmagem, todo o rosto das atrizes era ‘redesenhado’. Tinha um longo trabalho com base pra correção,sombra e luz com blush, etc, até as sobrancelhas eram redesenhadas para que não sumissem. Daí as mulheres começaram a copiar essa maquiagem que se tornou tendência, as maçãs do rosto eram bem delineadas com blush, as sobrancelhas com lápis preto e as pálpebras bem marcadas com sombra, os lábios com batons que demarcavam com precisão o coração da boca, enfim.
Dica: Essa técnica de sombra e luz é o máximo, aliás. Pode ser reproduzida até hoje em qualquer hora do dia, com algumas sutilezas, é claro. É muito fácil, é só iluminar o que quer ressaltar e escurecer o que quer reduzir. Por exemplo, passar uma sombra marrom escura sem brilho da ponta do nariz para baixo, até logo na junção com o buço, faz parecer que o nariz é mais arrebitado. Ou escurecer toda a parte sob o osso das bochechas até quase o maxilar, afina o rosto e ressalta as maçãs.